Processo de Produção

Apesar de se qualificar como uma obra videográfica, não se trata de uma curta-metragem tipicamente narrativa, no entanto usa processos similares na elaboração dos conteúdos. Concebido em seis meses, o trabalho apresenta várias fazes de execução: desde a investigação, escrita de guião e storyboard, à produção pratica da captação de imagens, tratamento e animação de conteúdos. Digitalmente foi conseguido com recurso aos softwares: Adobe Photoshop, Adobe Illustrator, Adobe After Effects, Maxon Cinema 4D e Sony Vegas.

Pesquisa
e Escrita

Concept Art
e Storyboard

Animação
e Edição

Construção
e Montagem

A execução é iniciada com o levantamento dos principais conceitos evolucionistas, a recolha das matériais, teóricas e gráficas, necessárias para o alinhamento narrativo e escrita do guião.

Definido o guião, são estruturadas visualmente as cenas e a transição de elementos. O tom e o estilo visual do filme são ensaiados na arte-conceptual das principais cenas a integrar a obra.

Recorrendo a um vasto leque de recursos gráficos, construiram-se as sete cenas de forma continua, mas não linear. Algumas cenas são inteiramente digitais e outras recorrem a captura de imagem real.

A arena metálica de projecção conheceu duas versões, uma em escala reduzida, para ensaios durante o processo de edição, e a final, à escala real, construida para exposição pública. O equipamento de projecção é formado por seis projectores Benq MX660 e duas placas de video Matrox ThreeHead2go.